HOME | NOTÍCIAS | VÍDEOS
> NOTÍCIAS

03/09/2018
Professora Juliana Lesquives tem tese de doutorado aprovada com louvor

A professora de Língua Portuguesa do 8º ano EF II, Juliana Lesquives, defendeu sua tese de doutorado “Violência como sistema: estudos de narrativas literárias e cinematográficas brasileiras contemporâneas”, e foi aprovada com distinção e louvor. Juliana agora é Doutora em Letras pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). A pesquisa foi orientada por Alvanita Almeida Santos.
 
 
Juliana (ao centro, de calça) ao lado da orientadora e da banca examinadora
 
Em sua pesquisa, Juliana fez uma análise da literatura e do cinema produzidos no Brasil nos últimos anos e o modo como essas narrativas representam a violência sistêmica no país. “A proposta da tese foi analisar a violência a partir do seu caráter estrutural, como elemento fundador da própria nação, da sociedade brasileira, como elemento estruturador das relações. É a violência da exploração do trabalho, a violência da negação de direitos, essa violência que não comove imediatamente”, disse Juliana.
 
A professora utilizou um filme e dois livros como objetos de estudo: “Quanto vale ou é por quilo?”, filme lançado em 2005 e dirigido por Sérgio Bianchi; “Estive lá fora”, romance de Ronaldo Correia de Brito, publicado em 2012; e o livro “Cabeça a prêmio”, escrito por Marçal Aquino e lançado em 2003.
 
“Quanto vale ou é por quilo?” faz um paralelo entre a escravidão e a exploração contemporânea, a situação da população negra hoje. “Ele olha bem a questão estrutural, como essa violência fundamentava o próprio sistema escravista e como fundamenta nossa forma de se organizar economicamente hoje, pela exploração do trabalho e negação dos direitos trabalhistas”, explicou Juliana. Ela contou que o filme analisa, ainda, como o discurso da caridade se tornou um empreendimento e serve muito mais para manter as desigualdades como estão do que amenizá-las. 
 
No livro “Estive lá fora”, o autor retoma memórias da ditadura militar e analisa como as estruturas sociais estavam delimitadas na época. “Ele critica a universidade, faz uma ligação entre o sofrimento individual e coletivo, fala como as famílias das vítimas também sofreram com o processo de perseguição durante a ditadura”, contou a professora.
 
O terceiro objeto, o livro “Cabeça a prêmio”, retrata o narcotráfico sob uma perspectiva diferente da que estamos acostumados a ver no cinema. “Nesse romance, o cenário é outro. Não é mais a favela. O cenário é uma fazenda do interior do país, e os traficantes são os grandes fazendeiros”, destacou Juliana. Na narrativa, o autor mostra como esses traficantes estabelecem relação com o poder público, se beneficiando dessas relações.
 
Em breve, a tese completa estará disponível no site da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e poderá ser acessada por todos. Parabéns, Juliana!

 



 
1 comentário(s) para esta notícia.
 
03/09/2018 às 13:40:48
eniara
Parabéns Juliana.


NOME:
E-MAIL:
COMENTÁRIO:

 
> MAIS NOTÍCIAS
 
Rua Mangalô, 156, Colina A, Patamares, CEP 41680-048 - Tel (71) 3367-2173 | 3367-3040 | 3367-7308 | 3367-3041
secretaria@anglobra.com.br